Crise dos chips pode deixar celulares ainda mais caros

O valor dos telefones celulares pode aumentar em 2021. O motivo pode ser a crise atual que afeta a produção de chipset, equipamentos que são essenciais na fabricação de smartphones. 

Boatos na mídia chinesa apontam que pode haver escassez de produtos fabricados pela TSMC, que é a maior empresa do setor no planeta. Se o preço baixo se confirmar, a estimativa é que o preço dessas peças chegue a 25% até o final do ano. 

Podendo ser refletido nos valores finais e serão repassados aos consumidores finais, ou seja, para pessoas que compram aparelhos celulares. 

A atual escassez de semicondutores é resultado da alta demanda e a consequente impossibilidade de produzir mais chips em menos tempo. Essa lacuna parece afetar toda a indústria de eletrônicos e até mesmo as montadoras, que contam com esse componente para implementar tecnologias desde airbags e direção autônoma.

Condições Climáticas

Os setores que utilizam este equipamento se preparam para que esta “escassez” não afete muito a produção, e que ela seja normalizada o mais breve possível. 

A Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC) disse que a impossibilidade de atender o pedido também está relacionada à falta de água da chuva na área onde a empresa está localizada. Condições climáticas na região sempre influenciaram a produção de equipamentos da montadora. 

Sendo um problema que “não pode ser solucionado” a empresa espera resolvê-lo o quanto antes. Devido a quantidade de pedidos em atraso. 

Em comparação com o ano anterior, a precipitação neste local em 2020 será apenas a metade do ano anterior. Fatores naturais além do controle da empresa forçaram os fabricantes a fornecer métodos alternativos de fornecimento de água às suas instalações, aumentando assim os gastos e afetando a produção de chips.

Fornecedora de componentes

O aumento final nos preços dos semicondutores significará processadores e placas de vídeo mais caros e pode afetar o valor de outros componentes do telefone inteligente, afetando assim os preços da prateleira. 

Ponto importante a lembrar que a Qualcomm, que é conhecida por fornecer processadores para várias marcas de telefones celulares, depende diretamente da TSMC e da Samsung para outros componentes. 

Desta forma as montadoras e empresas ficam amarradas umas às outras, sendo assim, quando uma sofre alguma interferência na produção, toda a cadeia seguinte também é alterada.

Nova Tecnologia

A TSMC produziu chipsets de 5 nanômetros e planeja começar a fabricar componentes de 3 nanômetros. Espera-se que a nova geração de chips proporcione 25% a 30% de melhoria de desempenho e 10% a 15% de redução no consumo de energia. O preço de lançamento deverá ser mais alto.

Fazendo com que o tempo de produção dos mesmos seja diminuído, causando menores gastos e fazendo render mais. Porém, isso depende muito das adaptações dos equipamentos que estão prontos para produzir os chipset de 5 nanômetros. 

Esta não é a primeira vez que a escassez de componentes afeta a indústria eletrônica. Por exemplo, a Samsung disse que pode pular a linha de produtos Galaxy Note este ano. 

Embora o fabricante não tenha mencionado a escassez de semicondutores, a crise pode interferir na decisão da fabricante coreana de adiar o lançamento do aparelho. Entretanto, este pode ser um dos principais fatores que afetam a produção da gigante coreana.

Se quer ver mais notícias como essa, acompanhe nossa página, diariamente postamos notícias relacionadas com tecnologia, aplicativos e smartphones. Comente abaixo com críticas, elogios e sugestões. Compartilhe com amigos e familiares.