Telegram é obrigado a bloquear filmes, músicas e séries piratas

Tendo perdido a causa em Israel no início do mês de Fevereiro o Telegram é obrigado a bloquear filmes, músicas e séries piratas. Essa foi a decisão tomada pela justiça Israelense no início do mês determinando que a plataforma Telegram tenha mais controle e proíbe ações de pirataria dentro do seu aplicativo. 

Com a ação iniciada há quase um ano (Fevereiro de 2020) a ZIRA, uma associação israelense que representa empresas de mídia em ações antipirataria, denunciou na justiça de Israel que o Telegram não vinha inibindo a pirataria praticada por seus usuários dentro da plataforma.

Após essa denúncia muitas coisas aconteceram, a ZIRA alega que a plataforma fazia “vista grossa” para grupos que disponibilizam conteúdos piratas, e em muitos casos havia pagamentos envolvidos.

A ZIRA ainda alega que o Telegram não agia adequadamente para combater essa prática. Em contrapartida, a plataforma diz que em Agosto de 2020 recebeu uma lista dos principais grupos que realizavam tal prática. 

Após tomar conhecimento de tais grupos a plataforma removeu permanentemente esses usuários. “Concordamos em bloquear os canais ou forçar os administradores a remover o conteúdo denunciado imediatamente” publicou o Telegram na época.

Pouco caso e medidas insuficiente para o combate a pirataria

A associação ZIRA alega que o Telegram teve atitude de tirar os grupos, porém, de forma demorada e ineficaz, tendo pouco caso com as tratativas. Dessa forma a associação apelou para a justiça de Israel para determinar que a plataforma tomasse atitudes mais drásticas e mais eficientes no combate da pirataria. 

Nesse ponto a justiça acatou o pedido da associação e determinou que o Telegram tivesse uma postura mais incisiva e eficaz na prática de combate a pirataria.  Determinando imediatamente o bloqueio dos links para canais que compartilhavam o conteúdo indevido,  através da aplicação e mais medidas para a remoção destes conteúdos, canais e grupos. 

Países que tomaram partido na causa

Em Dezembro de 2020, foi a vez da União Europeia tomar partido contra a pirataria, levantando a causa de combate a pirataria. O regulador europeu afirmou que a Telegram, tal como outras redes sociais, ficava aquém do que podia ser feito para combater a pirataria.

As entidades RIAA e MPAA denunciaram também que o Telegram é um antro de pirataria através dos canais da plataforma. Sendo que não tomam providência quanto a restrição do compartilhamento do conteúdo pirata, e quando faz é de forma pouco eficaz e ineficiente. 

Como a plataforma se posiciona?

A plataforma do Telegram, em nota oficial, afirma que tomará todas as medidas impostas pela justiça de Israel, implementando filtros de bloqueio, novas políticas de compartilhamento e termos mais severos quando detectarem essa prática. Declarou ainda que todas as medidas que foram determinadas perante aos grupos indicados para ZIRA, foram solucionados rapidamente, sendo todos excluídos, e banidos de forma permanente do aplicativo. Publicado em nota pelo perfil de suas redes sociais. 

Para acessar mais conteúdo como esse acompanhe nossas postagens, se você gostou desse conteúdo compartilhe com amigos e familiares. Comente nossas publicações com um elogio, sugestão ou dicas, iremos responder a todos.

Deixe um comentário

13 − 13 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Conteúdo Protegido!